Buscar
  • Grupo Ecar

Mitos do RH pra você quebrar agora!

Como qualquer outro campo, o RH está cercado de mitos que persistem há anos. No entanto, essa obsessão por modelos tradicionais e ultrapassados ​​pode atrapalhar o crescimento do setor e levar à estagnação do desempenho da empresa.


A seguir, vamos desmistificar 6 dos mitos mais comuns de gestão de pessoas que podem (e são muitos) minar o desempenho de pequenas e médias empresas. Veja a seguir.


Mito 1: "Passa pelo RH, é burocracia"


Há anos, quando pensamos em recursos humanos, pensamos na ideia de um departamento burocrático que sempre pede aos funcionários algum documento ou informação, certo? Na verdade, o departamento de Departamento Pessoal (DP) é onde as formalidades são feitas, mas é crucial entender o papel estratégico do departamento de RH


Enquanto os DPs são responsáveis ​​por admissões, controle de ponto, folha de pagamento, demissões e outras burocracias, o RH tem um papel mais amplo e estratégico dentro de uma organização e entre os funcionários.


Por isso, o foco da área de RH está no desenvolvimento, motivação, contratação e retenção de colaboradores para garantir maior produtividade e melhores resultados na organização. Trata-se de fazer com que todos sigam na mesma direção das metas do negócios.


Além disso, o RH é responsável por recrutar e selecionar novos profissionais com base na cultura organizacional e nas hard e soft skills que melhor se adequam às vagas.


Mito 2: “Os melhores incentivos são os financeiros”


Este é outro mito comum da indústria. Muitos profissionais de RH acreditam que a única forma de atrair e motivar os funcionários é por meio de promoções e bônus, mas não é bem assim.


Hoje, as pesquisas mostram que os funcionários estão cada vez mais focados em outros aspectos além das recompensas financeiras, que são realmente muito importantes.


Nesse sentido, oportunidades de aprendizado, identificação com a cultura e propósito da empresa, flexibilidade de benefícios, respeito e reconhecimento de suas personalidades comportamentais são alguns dos principais fatores motivadores para as gerações mais jovens.


Mito 3: "Inovação e criatividade exigem enorme esforço e investimento"


Outro grande mito tem a ver com inovação. Muitas empresas ainda acreditam que, para implantar uma cultura de inovação e criatividade, devem investir fortemente em tecnologia, mas não é bem assim.


Ser criativo, pensar em soluções inovadoras e descobrir formas mais econômicas e inteligentes de executar processos e ações é uma prática que pode (e deve) ser implementada no dia a dia e nas atividades mais básicas de uma organização.


Isso permitirá que o processo prossiga de forma mais ágil e eficiente, garantindo múltiplas melhorias em atividades que antes eram demoradas e ineficazes. Então comece simples!


Mito 4: "Durante o processo de seleção, os candidatos estão dispostos a esperar o tempo que a empresa decidir"


Se você acha que os candidatos ficarão à sua disposição por semanas esperando o retorno do processo seletivo, tenho más notícias para você.


Hoje, mais do que nunca, as organizações precisam se concentrar na competição e na “batalha por talentos” no recrutamento. Hora de tornar o processo seletivo mais ágil e eficiente!


Notavelmente, 47% dos candidatos perdem o interesse na oportunidade se não houver atualização de status entre uma e duas semanas após a primeira entrevista. Maior agilidade é necessária em uma área de TI onde a concorrência é acirrada e o número de profissionais capacitados é escasso.


Mito 5: "Não há como calcular o ROI das ações de RH"


Outro equívoco que pertence ao mito da gestão de recursos humanos é que o retorno do investimento em gestão de recursos humanos não pode ser calculado. Ressaltamos aqui que isso está longe da realidade.


Afinal, existem diversas métricas de RH que podem e devem ser acompanhadas de perto pelos profissionais da área. Assim, além de entender se uma ação está dando resultados ou se é necessário ajustá-la, também é possível mensurar o desempenho e os retornos individuais e coletivos.


Mito 6: "A tecnologia torna o RH menos humano"


Por fim, o último mito diz respeito ao uso da tecnologia no campo. Alguns ainda resistem a aderir às ferramentas de gestão de tecnologia, muitas vezes dizendo que "a tecnologia tornou o RH menos humano e mais robótico". Um grande mito!


Muito pelo contrário. A tecnologia vem para humanizar a gestão, trazendo dados concretos e mensuráveis, além de ferramentas como o mapeamento comportamental, que permite ao setor tomar decisões muito mais acertadas e com base nem dados concretos e totalmente confiáveis.


Quer ter um RH tecnológico e acabar com esses mitos em sua organização? Fale com a EcarPay e aproveite!


7 visualizações0 comentário