Buscar
  • Grupo Ecar

Seguro Cyber Risk e LGPD: veja esse guia rápido sobre os principais pontos!

O atual cenário tecnológico que vivemos propicia o surgimento acelerado de novas ferramentas que ressignifica a cada dia o jeito de nos relacionar, comunicar e trabalhar. A Internet das Coisas (Internet of Things – IoT, em inglês) transforma tudo o que é digital e funciona como um grande hub de atividades e processos.


Por causa dessa expansão vertiginosa, cada vez mais crimes na internet acabam acontecendo. Atualmente, o Brasil é um dos países que mais sofre com ataques de segurança digital no mundo e, segundo levantamento da Ponemon, os prejuízos às organizações afetadas são na ordem de R$ 3,96 milhões.


Apesar disso, não faz muito tempo que o Brasil passou a se preocupar com seguros mais adequados para se proteger desses riscos. Desde então, as modalidades de seguros cyber risks evoluíram tanto quanto as ferramentas e plataformas de armazenamento on-line


Por aqui, essa demanda vem, de organizações que possuem uma base grande de dados de pessoas físicas para atendimento ao grande público. Porém deve ser uma preocupação de qualquer empresa independente de seu porte e ramo. Neste artigo iremos abordar os principais pontos deste seguro e porque ele é tão importante.


Por que fazer um seguro Cyber Risk?


Segundo dados coletados pela Fortinet (plataforma que coleta e analisa incidentes de segurança cibernética), o Brasil sofreu mais de 1,6 bilhão de tentativas de ataques cibernéticos no primeiro trimestre do ano (2020) de um total de 9,7 bilhões da América Latina.


Cada vez mais sofisticados e abrangentes, os chamados crimes cibernéticos representam um grande risco para quem navega na internet e um desafio para empresas e internautas. Imagina ter dados pessoais vazados na internet? CPF, endereço, telefone, e-mail, salário etc., podem estar circulando nos meios digitais e isso pode trazer danos imensuráveis e irreparáveis para empresas e para pessoas físicas.


Para proteção dos riscos on-line, o seguro Cyber Risk surge como uma solução eficiente. Crimes digitais como ataques de hackers, desvios, roubos de dados, entre outros, já é considerado um problema mundial. Caso ocorra um ataque digital a empresa que contratou este seguro seguradora faz frente aos prejuízos financeiros. Além disso, a seguradora oferece ferramentas para ajudar a evitar esse tipo de situação, como a utilização de scanner e antivírus.


Em casos de ataque cibernético, a maioria das apólices de seguro cibernético cobre os custos financeiros e de reputação de terceiros, caso os dados ou sistemas eletrônicos tenham sido perdidos, danificados, roubados ou corrompidos.

Para a empresa envolvida a cobertura inclui o custo de investigação de um crime cibernético, recuperação de dados perdidos em uma violação de segurança e restauração de sistemas de computador, perda de receita decorrente de encerramento de empresa, gerenciamento de reputação, pagamentos de extorsão exigidos por hackers e custos de notificação, no caso de você ser obrigado a notificar terceiros afetados.


Quem deve fazer seguro Cyber Risk?


Essa questão é simples, qualquer empresa que utiliza a Internet para armazenar dados próprios ou de clientes, compartilhar informações de produtos ou realizar vendas precisa de um seguro cyber risk. Logo se a empresa, independente do porte ou ramo de atuação, depende da tecnologia para gerenciar o seu negócio e informações, está vulnerável a ataques e necessita investir em proteção.


O que o Seguro Cyber tem a ver com a LGPD?


Não podemos deixar de abordar também os riscos virtuais que envolvem a proteção de informações de consumidores, é aí que entra a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Uma questão importante trazida pela Lei é a necessidade de se estabelecer um programa de boas práticas e governança interna dos dados tratados pela empresa. O seguro cyber tem o objetivo de proteger o cliente em caso de divulgação pública de dados privados que estão sob custódia da empresa, assim como da divulgação de dados corporativos de terceiros.


Atualmente não é novidade saber que grande parte das nossas informações pessoais estão na internet, é instantânea a troca de dados pela rede e por isso devemos tomar muito cuidado para que esses dados não caiam em mãos erradas.


Sobre a LGPD


A LGPD tem o intuito de proteger os seus dados pessoais, tanto no formato físico, quanto no digital que dizem respeito a qualquer informação que identifique uma pessoa, como o nome e sobrenome, CPF e RG, além de dados como raça, religião, sexualidade etc. São muitos os dados que podem ser acobertados pela lei.


Toda empresa, seja nacional, estrangeira, pública ou privada que coletem dados em território nacional de seus clientes, terá que se adequar a essa nova lei. As organizações terão que ser totalmente transparentes com seus clientes. Quando receberem os dados, terão que informar ao usuário final o que ela está fazendo com aquela informação, por quanto tempo vai armazenar a informação, e como armazenar.


E para manter essas informações bem protegidas, será necessário que as empresas façam o seguro cyber risk. Com a contratação deste seguro, sua empresa fica dentro da lei e fica protegida, caso alguma dessas informações seja perdida ou vazada acidentalmente. Você já conta com um parceiro preparado para cuidar dessas questões?

11 visualizações0 comentário