top of page
Buscar
  • Grupo Ecar

CNV (Comunicação Não-Violenta) nas empresas: qual o papel do RH?

Como você deve saber, o RH é responsável por todas as relações do colaborador com a empresa. Isso inclui o acolhimento no primeiro dia e também os motivos pelos quais ele sai. Comunicação não violenta é uma teoria que já faz parte das discussões sobre criar um ambiente profissional mais saudável e empático – mas especialmente no RH isso precisa ser levado a sério.


O que é Comunicação Não-violenta?


A comunicação não violenta é um conceito baseado em uma visão holística do ser humano, seus processos internos e as interações com o mundo externo.


Os principais pilares da CNV são:


  • Agradecimento – a capacidade de agradecer por tudo que acontece no ambiente de trabalho, independentemente do resultado.

  • Reconhecimento – reconhecer os valores dos demais na equipe e no ambiente de trabalho como um todo.

  • Empatia – entender o outro com suas particularidades, sem julgar ou comparar-se a ele.

  • Compromisso – levar em consideração as opiniões dos demais para alcançar bons resultados em equipe.


Como a CNV surgiu?


A origem da comunicação não violenta está ligada ao movimento pelos direitos civis nos Estados Unidos, especificamente à liderança de Martin Luther King Jr. A ideia de utilizar técnicas de comunicação sem agressividade para promover uma causa social surgiu quando ele era um pastor batista no sul dos EUA e começou seu trabalho na campanha para acabar com a segregação racial em transportes públicos.


King percebeu que o racismo era uma realidade muito difícil de ser combatida por meio do confronto físico ou verbal, pois os opositores tinham ódio e preconceito tanto quanto as vítimas da discriminação. Por isso ele precisava encontrar uma forma mais pacífica de protestar e viver em harmonia dentro do mesmo ambiente social e cultural que lhe era hostil.


Como aplicar a Comunicação Não-Violenta no trabalho?


Pode parecer difícil, mas a comunicação não violenta é uma abordagem de comunicação baseada em empatia, que visa ajudar as pessoas a resolver seus conflitos, melhorar o clima organizacional e aumentar a produtividade do time.


Não se trata de uma técnica simples de aprender. Mas os benefícios são muitos: você chegará mais perto dos objetivos da sua equipe e terá resultados maiores para todos.

A comunicação não violenta é uma maneira holística e transparente de lidar com situações complexas no trabalho – um caminho à frente das práticas tradicionais de negociações baseadas na intimidade ou sabedoria arbitrária.


O que você precisa entender sobre como usar essa abordagem positiva para promover mudança nas empresas?


Agora, vamos descobrir!


Criar um ambiente profissional empático e construtivo faz bem pra todo mundo


Como gerente, você é responsável pelo bem-estar de seus funcionários. Um local de trabalho com empatia e apoio não é apenas mais produtivo; também é mais agradável de se trabalhar. E embora a empatia não soe exatamente como a característica mais “profissional”, ela pode ser muito poderosa quando usada corretamente.


A empatia é definida como a capacidade de compreender e compartilhar experiências ou emoções de outra pessoa. A capacidade de empatia ajuda as pessoas a se entenderem melhor, o que torna mais fácil para elas se comunicarem de forma eficaz, criar relacionamentos funcionais com seus colegas e gerentes - todas as coisas que tornam possíveis locais de trabalho felizes!


A comunicação não violenta é algo que precisa ser aprendido e aplicado em todos os setores da empresa. Em seu trabalho, o RH precisa fazer o papel de facilitador dessa mudança. Para isso, ele pode contar com especialistas em CNV que podem ser consultados sempre que necessário.


Foque nos pontos estratégicos da sua empresa, incentive a sua cultura e acolha os seus colaboradores. Com a EcarPay os processos do seu RH serão executados com total isonomia, governança e conformidade legal, aliando as melhores soluções do mercado a tecnologias modernas, de forma simples, com atendimento ágil, redução de custos e exatidão.


5 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page